• Camila Napolitano

Como começar a organizar uma vida que faça sentido?

Talvez você já esteja fazendo isso...

Muitos dos discursos que vemos sobre organização e planejamento nos levam para um lugar de urgência (que até certo ponto é importante), mas que podem nos trazer ansiedade.

Nós mulheres temos demandas parecidas, mas quando olhamos mais de perto, quando vemos as histórias, a maneira como aquela mulher enxerga a vida, vemos que são essas coisas que nos tornam diferentes.

E essas coisas precisam ser olhadas e, principalmente, você precisa se lembrar disso quando começa a pensar em se estruturar para realizar algo que é importante para você.

Digo isso, pois precisa ficar muito claro quando você começar a se organizar. Hoje em dia, com redes sociais, onde recebemos informações a todo o momento de como fazer tal coisa e principalmente, quando vemos alguém fazendo e realizando, tendemos a simplificar muito o processo.

“Bom, é só seguir esses 5 passos que tudo estará certo e lindo”.

A verdade é que não é bem assim. O que você vê é só uma pequena parte e por trás daquilo tem os dias em que a pessoa não acordou tão bem para seguir a rotina, as inseguranças, os lutos internos e externos. E os pequenos passos que são tão importantes para a “conquista final”.

Antes de qualquer coisa que eu possa te falar sobre organização e planejamento, precisamos começar a entender que as coisas não acontecem do dia para noite e que os processos não são lineares, eles são tomados de altos e baixos.

Em 2017, estive num lugar de dor e, por conta dele, comecei meu processo de autoconhecimento para entender o que estava acontecendo dentro de mim. Com ele, fui entendendo mais sobre mim mesma e tendo a percepção de que queria mais da vida. Eu quase que automaticamente relacionei isso ao meu trabalho e comecei a traçar um plano de uma nova vida que começou com a ideia do Desperta, Mulher! (E quando eu falo ideia, também não foi de um dia para noite, foi uma construção de muito trabalho e reflexão).

Decidi pedir demissão de onde trabalhei por 6 anos e que tinha uma carreira estável, um salário e reconhecimento ótimos. Idealizei que em 2018 iria fazer o Desperta, Mulher!, fazer minha formação em coach e aí viver do meu propósito. Estava amando trabalhar para mim mesma, fazer minha própria rotina, mas fui percebendo que o retorno financeiro não vinha e eu só tinha verba financeira para 6 meses. Hoje vejo que não fiz um planejamento ideal para um negócio, eu só fui.

Voltei para o mercado de trabalho e hoje, depois de 3 anos que criei o Desperta, Mulher!, entendo que os processos não são tão rápidos quanto imaginamos. E que entre o ir, fazer e dar certo tem uma infinidade de caminhos a se percorrer.

Não quero te desmotivar a seguir a vida que quer, de maneira alguma, muito pelo contrário! Me sinto animada cada vez que vejo que uma mulher está olhando para si mesma e começando a entender o que gosta e quem ela é de verdade.

Mas o que quero te dizer é justamente que se as coisas não estão acontecendo do jeito que você sonhou, não significa que elas não estão dando certo.

Sinto muito não te dar os “5 passos” nesse texto, eu até dou várias dicas práticas no meu trabalho com o Desperta, mas antes queria muito falar sobre esse cuidado que precisamos ter conosco mesmas. Para que a busca por ser alguém melhor e conquistar uma vida que realmente desejamos não seja mais um fardo e mais uma cobrança que precisamos carregar.

Essa busca é para que você seja mais feliz, mais realizada e se o contrário está te dando mais ansiedade, precisamos parar e repensar o caminho. Entenda que as coisas vão acontecendo aos poucos, a rota irá mudar de vez em quando e que você não estará atrasada por isso. São exatamente todos os processos que você vai passar que vai dando sentido para sua vida.