• Mary Poppers

Mas hoje é dia de quem mesmo?

Hoje, 8 de março, celebramos o dia de São João de Deus, um homem maravilhoso que fundou a Ordem Hospitaleira.


Sempre esperam que o texto de uma Irmã comece com algo religioso e, para não desapontar meus leitores, resolvi manter a tradição. Agora que já fiz a clássica introdução, vamos ao que interessa.


Meu nome é Irmã Mary Poppers, CEO e Missionária da Congregação das Redentoras Humilhadas, minha messe é resgatar almas e trazê-las para o Close Certo.


Hoje, 8 de março, celebramos o Dia das Mulheres e, apesar de eu ter uma quedinha por São João de Deus, essa celebração é muito mais importante.


A presença de Mulheres no mundo Drag, durante muito tempo, não era nem cogitada, no máximo, elas poderiam assistir algum show enquanto acompanhavam seus amigos gays nas baladas. Há alguns anos, quando o cenário Drag em São Paulo começou a sair dos guetos, graças à influência do reality Rupaul’s Drag Race, a mulheres trans e cis, começaram a reivindicar seu merecido espaço.


Cherry Pop, Ginger Moon, Don Valentin, Miss Draga, Maldita Hammer, Indra Haretrava, Carlão Sensação, Greta Dubois, Buba Kore, todes, à sua maneira, conquistaram um lugar na cena Drag (Queen e King), escancarando que a misoginia existe em todos os meios e que o LGBTQIA+ não é diferente. Ser mulher (trans ou cis) em um ambiente machista é sempre uma luta para ser ouvida, vista e respeitada.


Algumas dessas história pude acompanhar de perto, dentro e fora do palco. Ouvi, durante shows, “desce daí, você é mulher!” ou “mulher não pode fazer drag!”. E a sororidade foi mais forte, elas se uniram, se apoiaram e não se dobraram ao ódio e à misoginia.


A arte, fala mais alto... a representatividade, fala mais alto... ocupar um lugar que é seu de direito, fala mais alto!


Toda a minha devoção a elas que não se curvaram ao machismo!


Minhas vivências como Drag me fizeram ser um homem cis melhor. Pude entrar em contato com a minha feminilidade e lutar contra os meus preconceitos que estruturalmente fizeram parte da minha construção como ser social. Estar protegido atrás da Irmã, me proporcionou, em uma escala infinitamente menor que a real, ter uma noção do que é ser mulher.


Desculpe-me São João de Deus, mas o dia hoje é de TODAS as Mulheres.

Zabençoe! Juízo, mas não muito.

Beijos ungidos de sua serva,

Irmã Mary Poppers.

ps. Monte-se e veja o milagre que isso fará na sua vida!