• Najeen Dahu

Eu, Najeen Dahu

Começo me apresentando:

Meu nome é Najeen Dahu, tenho 31 anos, sou uma pessoa trans não-binária com expressão feminina e utilizo pronomes femininos (ela/dela). Me identifico como bruxa-macumbeira-cigana-espiritualista, porque tenho uma religião e várias crenças e práticas que não pertencem a essa religião. Sou iniciada no Candomblé há quase sete anos, mas também cultuo Deuses antigos, estudo e pratico magia, faço orações, rezas e benzeduras e sou devota de Santa Sara Kali, a santa dos ciganos. Sabendo quem eu sou, vem com a tia aprender sobre o mundo incrível da transgeneridade.


Começando a TRANSgressão


Segundo o dicionário Michaelis On-line,

transgredir

trans·gre·dir

vtd

1 Ir além dos termos ou limites.

vtd

2 Deixar de cumprir ou observar.


Assim, nós, pessoas transgêneros, somos transgressoras em vários sentidos. Nós transgredimos as normas de gênero impostas pela sociedade e CIStema, o sistema cisgênero imposto a todes. Desde que nascemos nós transgredimos os padrões da sociedade e, acima e tudo, transgredimos todos os limites que nos impuseram.

Nessa coluna falaremos sobre todas as nuances existentes dentro da comunidade T, que vai muito além do imaginário raso a que somos expostes.


Dando Nomes às Coisas

Começando nossa coluna, precisamos explanar sobre alguns termos que serão muito utilizados em todos os artigos, para que todes entendam bem o que é e sobre o que falaremos.


Cisgênero é o que?

O prefixo “cis” tem origem no latim e significa “deste lado de”, que é oposto de “trans”, que significa “do outro lado de”. Cisgênero designa as pessoas cuja identidade de gênero corresponde com o gênero atribuído no nascimento por causa do órgão genital. Por exemplo: Quando você nasceu, o médico olhou para seu órgão genital e falou “parabéns, mãe, é um menino/menina” e você se entende, percebe e identifica da mesma forma que ele falou (seja menino ou menina).


E transgênero?

É basicamente o oposto de cisgênero, sendo as pessoas que não se identificam com o gênero atribuído por causa do órgão sexual. Por exemplo: O médico disse que você é menino porque nasceu com um penduricalho entre as pernas (pênis), mas você não consegue se encaixar dentro do gênero masculino e se entende, se enxerga e se identifica como mulher. Assim sendo, você é uma mulher transgênero (se for o inverso, você é um homem transgênero, mas também existem travestis e pessoas não-binárias que são casos um pouco distintos, mas também são pessoas trans).


Binário, que catzo é isso?

Binárias são as pessoas que se encaixam na binariedade de gênero homem/mulher. Toda pessoa cis é binária (porque não tem possibilidade de o médico dizer para os pais quando o bebê nasce: “Parabéns, sue filhe é não-binárie”. Já as pessoas trans podem ser binárias (homem ou mulher) ou não-binárias (qualquer identidade que não seja exclusivamente homem ou mulher).


Tá, e não-binário?

Não-binárias são todas as pessoas cuja identidade de gênero não seja exclusivamente homem ou mulher, podendo ser

  • Gênero-fluido (gender-fluid): Cuja identidade flui, com regularidade ou não, entre dois ou mais gêneros;

  • Dois-espíritos (two-spirits): Que se identifica ao mesmo tempo com homem e mulher;

  • Agênero (agender): Não se identifica com nenhum gênero;

  • Bigênero: Se identifica com dois gêneros, não necessariamente ao mesmo tempo e não necessariamente somente homem/mulher;

  • Poligênero: Se identifica com mais de dois gêneros ao mesmo tempo;

  • Etc.


Como eu trato uma pessoa trans?

Primeiro, com educação e respeito, como com qualquer pessoa. Sobre formas de tratamento e pronomes, o ideal é sempre perguntar como a pessoa gosta de ser tratada, sem tentar “adivinhar” pelo jeito que a pessoa se veste (expressão de gênero). Existem pessoas não-binárias que preferem ser tratadas de forma neutra (elu/íle), mas não são todas. Algumas pessoas trans binárias não gostam de ser tratadas de forma neutra. É sempre melhor perguntar mesmo.


Expressão de gênero e sexualidade

São duas coisas que não têm profunda relação com a identidade de gênero. Expressão de gênero é como a pessoa se expressa para o mundo (roupas, barba, maquiagem, adereços etc.), podendo ser masculina, feminina, neutra (nem masculina nem feminina) ou andrógina (uma mistura de masculina e feminina). Já a sexualidade ou orientação sexual é sobre por quem você se atrai, por exemplo, se você se atrai afetiva e sexualmente por pessoas do gênero oposto, você é heterossexual; se você se atrai pelo mesmo gênero, você é homossexual; se você se atrai por dois gêneros, é bissexual; se você se atrai por pessoas, independente de gênero e órgão genital, você pode ser pansexual, entre outras formas de sexualidade. Sendo assim, pessoas trans podem ser hétero, homo, bi, pan ou qualquer sexualidade.


Por Hoje é só, Pessoal!

Bem, galerinha, por hoje é só isso. Foi uma introduçãozinha para podermos desenvolver nossos próximos bate-papos. Sempre trarei temas pertinentes às nossas vidas da perspectiva da comunidade T, que é tão diversa como tudo o que diz respeito aos seres humanos. Sendo coisas que fazem parte das minhas vivências, eu mesma falarei, sendo coisas de outras vivências, farei entrevistas com pessoas trans que podem falar com propriedade sobre os temas. Quaisquer perguntas, sugestões e críticas construtivas, entrem em contato através das minhas redes sociais. Beijas e abraças a todes!