• Carol Salgado

A Culpa de crescer e a liderança feminina


* Por Camila Zapata


Um dos principais obstáculos para o crescimento profissional da mulher é a culpa que ela carrega de trabalhar, ter um lar, filhos, marido, se manter sempre bela, alto astral, dar conta de tudo.

Na estrada para a liderança feminina, podemos encontrar inúmeros motivos que nos levam a ficar pelo caminho: estatísticas, discrepância salarial, falta de oportunidades. Todos estes obstáculos são reais, mas hoje quero falar do que acontece dentro de nós. Nossos maiores inimigos são internos. Se os combatermos, ficamos mais fortes para encarar o mundo exterior.

Acredito que um grande entrave para o crescimento profissional da mulher é a culpa que ela carrega, ainda que de forma inconsciente, por não estar no lar. A culpa acontece quando temos dentro de nós crenças que destoam da nossa vivência.

Vivemos culpadas porque trabalhamos, estudamos, temos filhos, viajamos a trabalho. Mas faço uma pergunta: Nossas avós (que tinham dez ou mais filhos) dedicavam mais ou menos tempo por criança no seu dia a dia?

Hoje temos em média apenas dois filhos, e porque trabalhamos nos sentimos culpadas por não conseguir suprir as necessidades demandadas por eles. Pergunte às suas avós se no tempo delas era papel do pai ou da mãe brincar com seus filhos. Já te adianto que na maioria das vezes a resposta será negativa. Mas ainda assim, nos sentimos culpadas porque não brincamos o suficiente, por não estarmos perto o suficiente. Mas o que significa mesmo a palavra suficiente?

A questão não é fácil de ser resolvida. Acredito que podemos desempenhar vários papéis, mas precisamos saber priorizar, planejar e porque não: renunciar. Pessoalmente, se por um lado tenho uma vida profissional intensa, por outro eu já adiei cursos, mestrados, viagens a até sonhos para ser mãe e esposa. Até hoje limito minha agenda profissional em prol destes outros papéis.

Lembro-me das vezes que tive que optar entre estudar e cuidar do meu filho. Às vezes não sabemos como lidar com esses sentimentos, pois diante dessa situação me sentia triste, frustrada, e na maioria das vezes culpada, por forçar meu filho tão bebê a seguir uma rotina tão dura e cruel.

Quantas vezes nos sentimos assim, principalmente quando não sabemos lidar com nossos sentimentos, quando não sabemos lidar de forma inteligente com nossas emoções.

Isso é em todas as áreas das nossas vidas, quando decidi empreender, tive que aprender a lidar com minhas emoções, pois enfrentei muitos desafios, e quebrei várias vezes, isso acontece com muitas pessoas, pelo simples fato de não saber o que realmente quer, não ter foco, não conhecer seu produto, ou até mesmo por delegar suas obrigações. Às vezes temos que ser firmes e decididas, ser autênticas, e saber o que realmente queremos, saber lidar com nossas emoções e termos nossa própria identidade.

“Sigo em frente, não sei qual será o resultado, mas sei que as escolhas são minhas e ninguém deve pagar por elas, pois fiz isso por mim, pela mulher que escolhi ser, e tento viver uma vida plena, cheia de papéis e sem culpa”.

Enfim, diante de tantos sugestionamentos e influências que nos dizem o que é certo e o que é errado, tenho uma sugestão: vamos nós, mulheres, dizer o que é certo e o que é errado dentro da nossa realidade, dentro das possibilidades que temos dentro e fora de nós e, na medida do possível, viver uma vida sem culpa e cheia de significado. Você aceita o desafio?

A melhor maneira de mudar o padrão de vida é melhorar o padrão de pensamento.


Camila Zapata

Instagram: @camilazapattaoficial Contato 48 9 98460021


Referências: Imagem Wonder Woman